top of page

Conheça o outro lado da Cocatrel: geradora de emprego, renda e muito mais para Três Pontas e região


A Cocatrel é uma empresa que, há 56 anos está consolidada na cidade de Três Pontas. Para tantos momentos de crise pelos quais o país tem passado, ao longo destes mais de meio século, este dado é bastante relevante. E ele é também importante quando dizemos que, em média, o colaborador da Cocatrel fica na empresa por cerca de 20 anos. Mas há quem esteja trabalhando ali desde o início, por 56 anos.

“A Cocatrel emprega hoje 420 pessoas. São 320 somente em Três Pontas. Isso significa que 320 famílias dependem diretamente da cooperativa”, afirma Marcos Heitor, gerente de RH da Cocatrel. São várias frentes de trabalho como os armazéns, as lojas, a sede administrativa, departamento de classificação e provas, departamento de cafés especiais e exportação, laboratórios, oficina, manutenção de máquinas, silo de cereais, a cafeteria, o departamento de laticínios, o departamento técnico e, em breve, uma moderna torrefação, que deverá gerar ainda mais empregos. “No nosso quadro de funcionários contamos com Engenheiros, dentre eles os Agrônomos, Técnicos Agropecuários, Contadores, Administradores, Veterinário, Jornalistas, Advogado, Analistas e Desenvolvedores de Sistemas, Técnicos em Segurança do Trabalho, entre outros”, acrescenta Marcos Heitor.

Além disso, quando falamos de Três Pontas, a cafeicultura ainda é a maior geradora de emprego e renda. Conversamos com Sebastião de Fátima Cardoso e Ralf Funchal Duarte, que respondem pela Secretaria Municipal de Indústria e Comércio, que afirmaram que, entre 70 e 80% da arrecadação de Três Pontas advém da cadeia cafeeira.

A Cocatrel está entre as três maiores empresas da cidade em arrecadação de impostos, geração de empregos e é, de longe, a primeira em faturamento. Isso devido aos mais de 5 mil cooperados, que colocam, anualmente, nos seus armazéns, entre 1 e 1.5 milhão de sacas de café, que são comercializados pela cooperativa. “É como se fossem 5 mil empresas, que empregam, geram ainda mais renda e movimentam todo o comércio da cidade”, define Ralf.

Todos sabemos da importância dos cafeicultores e da necessidade deles para saúde do município. Perguntados do que achavam que aconteceria com Três Pontas se, hipoteticamente, não existisse mais a Cocatrel, ambos foram categóricos em dizer que o município entraria em colapso. “A cafeicultura é essencial para nós”.

Tudo isso porque a Cocatrel é, também, uma grande cliente do município. “Temos muitos fornecedores aqui em Três Pontas. Consumimos tudo que uma empresa precisa, desde água, material de informática e papelaria, sacolinhas, embalagens, etc., até insumos agrícolas. Com isso movimentamos, em média, cerca de 1 milhão de reais por dia”, explica Miro Funchal, gerente administrativo da cooperativa.

É importante lembrar, que durante a safra, há o aumento de cerca de 10% de contratações, temporárias, com carteira assinada. Além disso, seus cooperados também aumentam o número de colaboradores de suas fazendas, com os safristas. Isso faz com que Três Pontas esteja sempre entre as principais contratantes do país.

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, (CAGED), em junho de 2017, só a agropecuária, impulsionada pela colheita do café, foi responsável pela geração de 80% das vagas de trabalho criadas nos principais municípios do Sul de Minas.